Páginas

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

ECOS DE UMA REPORTAGEM


 VERDADES  VINDO À TONA

Quero aqui, agradecer mais uma vez à jornalista Janete Trevisani, pela reportagem da Revista Metrópole deste último Domingo - Família Musical -  assim como agradecer ao Rui - chefe de redação da RAC - que, em meio às centenas de cartas recebidas diariamente, publicou este precioso texto de Laércio Rossi na Opinião do Leitor, que leu a reportagem e lembrou-se de seu pai e das coisas que seu pai lhe contava sobre a Banda de João di Tullio.
Obrigada aos dois jornalistas, que tornam assim possível, que a história de fato e de direito de Campinas, até hoje injustamente preterida e até mesmo, esquecida, ressurja das cinzas, como Fênix.
É o primeiro passo dado, de muitos que virão, até que as coisas estejam colocadas em seus devidos lugares.
BANDA
by Laércio Rossi 

Lendo a coluna Memorável, de Jante Trevisani, "Uma Família Musical", sobre o maestro João di Tullio e sua família, lembrei-me de um caso contado por meu pai, que quando jovem, foi associado da Banda Ítalo-Brasileira.
O senhor Ettore Rossi, meu pai, que à época estava com 19 anos, contava que a Banda Ítalo-Brasileira havia conquistado o primeiro lugar no Rio de Janeiro, em um concurso comemorativo do centenário de nossa Independência, em 1922.
E que, quando o maestro João di Tullio foi receber a premiação, cumprimentou o maestro da banda argentina, que havia ficado em segundo lugar e lhe disse: "o senhor tem uma bela banda com 120 figuras".
Nesse momento, o maestro, que era também italiano, retrucou ao maestro di Tullio:
"É verdade, eu tenho 120 figuras e o senhor tem 29 músicos."

DESFRUTANDO O VERDE

Um comentário: