Páginas

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O MAESTRO TORO E CARLOS GOMES



O MAESTRO V. H. TORO E CARLOS GOMES
by Dulce Miriam Schmidt


"Aqueles que cultuam a obra de CARLOS GOMES tiveram, - aqui em Campinas -, uma raríssima oportunidade de ouvir as execuções de trechos de suas óperas executados por nossa Sinfônica Municipal, incluindo árias com as (os) sopranos Edna D'Oliveira e Elayne Casehr, tudo sob a direção do maestro Victor Hugo Toro, natural do Chile e atuando como regente convidado de nossa orquestra.
 Essa oportunidade é aqui adjetivada como "raríssima" pelo simples caráter de sua perfeição técnica e estética, no que se referiu à leitura e interpretação de obras de nosso compositor maior, levando em conta o fato de que as composições gomesianas são, todas elas, de grandes dificuldades técnicas, tanto para instrumentos como para vozes.
A parcela de campineiros que cultiva a música clássica-erudita, a partir desse concerto, uma dívida de profunda gratidão para com o maestro Toro por sua dedicação à análise e ao estudo dessas peças de CARLOS GOMES, dedicação que culminou com o pleno e comovente sucesso das execuções, para gáudio de toda a plateia presente, que foi pródiga em aplausos emocionados.
 Na condução das peças, notou-se uma certa maneira, um certo estilo pessoal do maestro Toro de dar ênfase às divisões dos tempos dos compassos, de forma que os ataques, os contratempos, as síncopes, etc, dentro da globalidade e do contexto de cada frase, soavam absolutamente transparentes, numa precisão impecável em prol da intenção estética de CARLOS GOMES.
Repetindo: a leitura que o maestro Toro faz de peças gomesianas é límpida e absolutamente correta, e isso com certeza, deve-se dar em virtude de seu método pessoal de trabalhar a orquestra nos ensaios.
É evidente que o acerto de tais leituras e interpretações de um regente tem que estar ancorado num corpo de músicos também altamente capacitados tecnicamente falando e, totalmente solidários com as intenções estéticas desse regente - o que se notava claramente no caso de nossa querida OMSC.
 Com essa amostra de perfeição, podemos imaginar como seria glorioso para Campinas se ela tivesse de volta seu Teatro de Ópera, para que todos os campineiros, pelo menos, pudessem ouvir e conhecer na íntegra todas as oito óperas e o Poema Vocal Sinfônico de Antonio CARLOS GOMES !" 
UM PRA MIM, UM PRA VOCÊ...

Um comentário:

  1. Parabéns, Carlos Gomes!
    Parabéns, Maestro!
    Rogoldoni

    ResponderExcluir