Páginas

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

REVENDO O PÃO-DE-AÇÚCAR !


RIO DE JANEIRO... GOSTO DE VOCÊ !

Como fomos ao Rio para assistir ao Cirque du Soleil, aproveitamos para refazer o passeio ao Pão de Açúcar, pois, a última vez que lá estivemos, nossos filhos ainda eram pequenos, ou seja, há trinta anos.
A visão lá de cima é fantástica !

O morro Pão de Açúcar é um pico situado no Rio de Janeiro, na entrada da baia da Guanabara, no bairro da Urca, com 396 metros de altura.
É constituído por um monólito, sendo um bloco único de gnaisse facoidal, rocha metamórfica originária do granito, que sofreu alterações por pressão e temperatura, emergindo com o choque entre os continentes sul-americano e africano. 
 Estima-se que tenha sido formado há mais de 600 milhões de anos. 
 É circundado por um resquício de mata Atlântica.
É um dos principais pontos turísticos da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil.
 
O Pão de Açúcar, por sua forma de ogiva, pela localização privilegiada, pela presença na história da cidade, pelo original acesso ao seu cume, é um marco natural, histórico e turístico da cidade do Rio de Janeiro.
Motor do antigo bondinho

Marco natural, porque o pico do Pão de Açúcar está na entrada da Baía de Guanabara, sendo referência visual para os navegadores que, do mar ou do ar, o procuram por estar localizado na periferia da cidade.
 O primeiro bondinho

Marco histórico, porque aos seus pés, Estácio de Sá, em 1º de março de 1565, fundou a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. 
 O segundo bondinho

Estácio de Sá chegou ao Rio de Janeiro em 28 de fevereiro de 1565 e no dia 1º de março lançou os fundamentos da cidade, entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, por ser local de mais fácil defesa. 
O local permitia, não só a observação de qualquer movimento de entrada e saída de embarcações da baía, como facultava a visão interna de todos os possíveis invasores.
Marco turístico, porque a inauguração do teleférico do Pão de Açúcar em 1912, projetou o nome do Brasil no exterior. O teleférico do Pão de Açúcar foi o primeiro instalado no Brasil e o terceiro no mundo, aumentando o desenvolvimento do turismo nacional. 
Não é sem razão que é chamado de a Jóia Turística da Cidade Maravilhosa.
Marca registrada da cidade do Rio de Janeiro, o morro do Pão de Açúcar é uma montanha despida de vegetação em sua quase totalidade. 
É um bloco único de uma rocha proveniente do granito, que sofreu alteração por pressão e temperatura e possui idade superior a 600 milhões de anos. O Pão de Açúcar é circundado por uma vegetação característica do clima tropical, de Mata Atlântica com espécies nativas que em outros pontos da vegetação litorânea brasileira já foram extintas.
 
Há várias versões históricas a respeito da origem do nome Pão de Açúcar. Segundo o historiador Vieira Fazenda, foram os portugueses que deram esse nome, pois durante o apogeu do cultivo da cana-de-açúcar no Brasil (século XVI e XVII), após a cana ser espremida e o caldo fervido e apurado, os blocos de açúcar eram colocados em uma forma de barro cônica para transportá-lo para a Europa, que era denominada pão de açúcar. 
A semelhança do penhasco carioca com aquela forma de barro teria originado o nome. O penedo teve ao correr do tempo, cronologicamente, os seguintes nomes:
“Pau-nh-açuquã” da língua Tupi, dado pelos Tamoios, os primitivos habitantes da Baía de Guanabara, significando “morro alto, isolado e pontudo”; “Pot de beurre” dado pelos franceses invasores da primeira leva; “Pão de Sucar” dado pelos primeiros colonizadores portugueses; “Pot de Sucre” dado pelos franceses invasores da segunda leva.
Ortograficamente, segundo a anterior ortografia da Língua Portuguesa, “Pão de Assucar”, era com ss.
O nome Pão de Açúcar generalizou-se, a partir da segunda metade do século XIX, quando o Rio de Janeiro recebeu as missões artísticas do desenhista e pintor alemão Johann Moritz Rugendas e do artista gráfico francês Jean Baptiste Debret que, em magníficos desenhos e gravuras, exaltaram a beleza do Pão de Açúcar.

CASA DE BOLHA 

5 comentários:

  1. Muito gostoso ler essa descrição. Para mim, que há 35 anos não vou ao Rio, foi como reviver, em fotos e história, esse marco turístico brasileiro. Valeu reviver!

    Angela

    ResponderExcluir
  2. Querida Denise!
    Bom saber que vale a pena visitar o Rio. Um sonho que ainda não consegui realizar.
    Quem sabe um dia convenço meu marido a ir comigo!
    Beijos
    Feliz 2012

    ResponderExcluir
  3. Rosana, devemos perseguir nossos sonhos a qualquer custo !
    Penso assim.
    Terá esta oportunidade, você vai ver !
    Beijo e Feliz 2012 !

    ResponderExcluir
  4. Preciso revê-lo.
    Um passeio deslumbrante!

    ResponderExcluir