Páginas

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

A BELA CONFEITARIA COLOMBO !

ARTE EM CONFEITARIA

Como fomos ao Rio de Janeiro para assistir ao Varekai, aproveitei para conhecer a Confeitaria Colombo.
Já fomos várias vezes ao Rio quando nossos filhos ainda eram pequenos, mas não conhecia a Colombo, pois, nossos programas com filhos se rezumiam a praia e outros pontos turísticos.
 O glamour e a tradição de mais de um século de uma das mais respeitadas casas comerciais do país vem de longa data. 
Aliás, não se poderia mesmo contar a história da Confeitaria Colombo, hoje patrimônio cultural e artístico da cidade, sem associá-la a história urbana do Rio de Janeiro.
Segundo Milton Teixeira, professor de História da Cidade do Rio de Janeiro, a casa em que Tiradentes se escondeu na rua dos Latoeiros, após ser delatado por Silvério Reis, foi demolida e em seu lugar foi construída outra casa, onde se instalou a Confeitaria Colombo.
A Confeitaria Colombo localiza-se no centro histórico da cidade do Rio de Janeiro, no Brasil, sendo um dos principais pontos turísticos da Região Central da cidade.
A confeitaria foi fundada em 1894 pelos imigrantes portugueses Joaquim Borges de Meireles e Manuel José Lebrão, tendo um extenso rol de clientes célebres entre a sociedade brasileira.
Sua arquitetura e ambiente permitem ter uma idéia de como terá sido a Belle Époque na capital da República. 
 Entre 1912 e 1918 os salões do interior da confeitaria foram reformados, com um toque Art Nouveau, com enormes espelhos de cristal trazidos da Antuérpia, emoldurados por elegantes frisos talhados em madeira de jacarandá. 
Os móveis de madeira do interior foram esculpidos na mesma época pelo artesão Antonio Borsoi.
Em 1922 as suas instalações foram ampliadas com a construção de um segundo andar, com um salão de chá. 
 Uma abertura no teto do pavimento térreo permite ver a clarabóia do salão de chá, decorada com belos vitrais.
Entre os clientes famosos da confeitaria estão Chiquinha Gonzaga, Olavo Bilac, Rui Barbosa, Villa-Lobos, Lima Barreto, José do Patrocínio, Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, rei Albert da Bélgica em 1920, rainha Elizabeth da Inglaterra em 1968 entre muitos outros.
Em 1944, a tradicional casa abriu uma filial em Copacabana, na esquina da Avenida Nossa Senhora de Copacabana com a Rua Barão de Ipanema, que funcionou até 2003, quando se mudou para o Forte de Copacabana.
A loja atualmente é ocupada por uma agência do Banco do Brasil, nomeada Colombo em homenagem à confeitaria.

A Confeitaria Colombo também possuiu uma segunda filial no Barra Shopping, localizada na praça de alimentação Rio Antigo. 
Inaugurada em 1992, a loja possuía vitrais projetados por Burle Marx. A filial foi fechada ainda na década de 1990.
 Os cardápios

Seus balcões são de mármore italiano.
São 4 andares e 3 espaçosos 'lounges' decorados com 8 espelhos belgas, medindo 3x6 mts e pesando 1 1/2 tonelada cada, todos emoldurados com rosas de madeira.

PAREÇO PORCELANA !...
 

4 comentários:

  1. Carmen Lins de Carvalho26 de dezembro de 2011 13:40

    Denise, assim vamos engordar, com as delicias da Colombo - láááááá na Rua Gonçalves Dias, RJ. Apresentada por você, abre mais vontade de beliscar aqueles doces/salgados.

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkk... pois é, Carmen, as delícias devem ser mesmo muito boas (eu só tomei um cafezinho, senão...), mas que é uma belezura é !

    ResponderExcluir
  3. A Colombo é sinônimo de bom gosto em todos os sentidos.

    ResponderExcluir
  4. Esses docinhos,com pãezinhos doces,geléias e manteiga, com chocolate e chá, ainda assistindo uma exibição de um quarteto de cordas ou ao maestro João Carlos Assis Brasil ao piano, principalmente à tardinha... é tudo de bom!!!!!!!!!

    s

    ResponderExcluir