Páginas

quarta-feira, 13 de junho de 2012

CURTINDO A EUROPA - ILHA DE CAPRI, ITÁLIA



A CINEMATOGRÁFICA CAPRI !
Capri é uma ilha italiana situada no golfo de Nápoles (região da Campania), no mar Tirreno, a pouca distância do continente.
A ilha possui uma área de cerca de 10,36 kms quadrados, a maior elevação da ilha é o monte Solaro (589 m).
A fortuna, como escrevia Simónides, poeta grego do séc. V a.C., pode mudar “rápida como o volver de asas de uma mosca”; mas não para Capri, uma ilha que pelo menos desde os idos remotos do Império Romano continua a ser destino de milhares e milhares de viajantes, cada um deles atraído pelos mais diversos motivos, mas todos, provavelmente, em busca subconsciente de uma certa ideia de beleza idílica.
Capri é uma ilha, que fica no golfo de Nápoles, no mar Tirreno. 
Charmosíssima, com um pôr do sol encantador. O centrinho da cidade é uma graça e tem lojas como: Gucci, Louis Vuitton, Emilio Pucci, Missoni, etc.
 Até um sapateiro encontramos, que faz sandálias lindas, sob medida e na hora ! 30 euros.
 
Estávamos com carro alugado, então chegamos por Amalfi e tomamos o barco que nos levou até lá.
Mas a partir de Nápoles há navegação regular para Capri (ferryboat e hydrofoil), mais frequentes durante a época estival. Os barcos partem do Molo Beverello, perto da Piazza del Municipio. 
Uma alternativa é tomar linha férrea Circumvesuviana, que circula ao longo da costa até Sorrento e daí apanhar um dos muitos barcos que partem para Capri. 
Há ligações internas em mini-autocarro entre Capri e Anacapri e outros pontos da ilha como Marina Piccola e a Grotta Azzurra, bem como serviços de táxi.
Para combinar com o charme da ilha, até os táxis são diferentes. Os taxistas são verdadeiros loucos... descem a ilha à toda velocidade e a estradinha é minúscula e sinuosa... 
 lá embaixo, o mar !
 Subimos a ilha e para descermos, fomos de táxi... uma loucura ! E eu cantando músicas italianas dos anos 70 com o louco do motorista ! Meu marido sofrendo...rsrs
 Lá em cima tomamos o teleférico... uma aventura única ! Vê-se toda a ilha e o mar lá embaixo ! Um cenário exuberante.
Os italianos, apaixonados que são por Capri dizem: "Conhecer Capri e depois morrer."
Capri é um cenário mediterrâneo de uma ilha cheia de charme e badalações, com apenas 6 kms de extensão por 2 km de largura.
No porto de Marina Grande e em Anacapri é possível encontrar restaurantes com preços acessíveis que servem gastronomia da ilha, que inclui muitas especialidades marítimas.
Os locais orgulham-se igualmente da sua mozzarella, do raviolli alla caprese, onde brilham os queijos locais, e do agnolotti, pasta com espinafres e ricotta. O vinho branco de Capri é um vinho leve, especialmente vocacionado para acompanhar peixe ou saladas. É dessa famosa ilha que vem a deliciosa Insalata Caprese e a Torta Caprese! E as sobremesas !
O Restaurante Aurora é um dos mais antigos e tradicionais de Capri, há três gerações é símbolo da típica cozinha Mediterrânea. 
Parada obrigatória para quem visita a ilha. A sala de jantar é muito agradável e a varanda maravilhosa! A carta de vinhos conta com mais de 300 rótulos, além de Italianos, Franceses, Californianos entre outros. Faz parte da família do dono da casa o gosto por vinhos finos. Está localizado no centro de Capri, onde, há mais de um século, os membros da família D’Alessio têm promovido as tradições culinárias de Capri - criando um verdadeiro paraíso gastronômico. Imperdível!!!
 Daqui pode-se ver a ilha com este telescópio... 1 euro cada minuto.

Na Marina Grande, há também um funicular que possui um trajeto de 3 kms e oferece uma bela vista durante a viagem até a parte alta da ilha.
 
Quando nosso barco chegou a Capri, começou a circundar a ilha , e eu começei a cantarolar bem baixinho, as canções de Pepino de Capri, que eu ouvia na
minha adolescencia, e aí percebi o porquê de tanta inspiração !
 O azul inebriante  do mediterrâneo, a brisa morna da primavera, as escarpas brancas imensas e o barqueiro nos mostrando orgulhoso: essa é  a gruta Corallo, mais adiante, essa é a Meravigliosa ! 
Enquanto lá fora o mar era azul, dentro de uma das grutas via-se um verde esmeralda incrivel !
Para o final  ele nos reservou a tão famosa  gruta Azul , daí a gente sai do barco, entra-se num micro " batello", abaixa a cabeça, o corpo todo, e quando se abre os olhos, está lá dentro, meio que vivendo um sonho ! 
 
Fizemos um pedido para que ele permanecesse um pouco mais que o costume , pra que nossa retina acostumasse com o azul inesquecível do momento !
 
Na verdade, o paraiso está mesmo é dentro da gente, mas acho, que pode ainda estar em algum outro lugar  desse mundo : Em Capri !
 Capri é lindaaaa, do tipo quieta e encantadora, chique e simples ao mesmo tempo, fervilhante de turistas de todas as partes do mundo. 8.000 por dia em baixa temporada e 13.000 em alta.
 A ilha é dividida em Capri e Anacapri, uma é na parte norte e outra sul da ilha, embora não tenha encontrado diferença. São 2 comunas: a de Capri (uma comuna italiana com cerca de 7.058 habitantes), e a de Anacapri (uma comuna italiana com cerca de 5.844 habitantes e que faz fronteira com Capri.)
O trajeto de barco, saindo de Nápoles até Capri, dura uns 40', os barcos saem diariamente, e são bem confortáveis, com lanchonete dentro.
À noite, o movimento fica por conta dos restaurantes e barzinhos no centro da cidade, um melhor que o outro.
O Arco Natural da Ilha de Capri está situado na costa leste da ilha italiana. 

O comandante do barco fez-nos uma maravilhosa surpresa e passou com o barco no meio das pedras - Faraglioni... uma emoção forte... momentos inesquecíveis... e eu acompanhei cada minuto com minha câmera.
 Não é à toa que os símbolos de Capri sejam estes gigantinhos de rocha que brotam do mar:  os Faraglioni - imponentes rochedos ponteagudos escarpados rodeados de água escandalosamente azul por todos os lados.  São como guardiães das belezas da ilha.  
Os Faraglioni são blocos de rocha que sobreviveram a milênios de erosão do mar e dos ventos que provocou desabamentos sucessivos.  Cada uma delas tem seu nome próprio: a primeira, ainda ligada à terra, chama-se Stella, a segunda, separada do primeiro bloco por uma faixa de mar azul, chama-se Faraglione di Mezzo e a terceira, Faraglione di Fuori, ou Scopolo, alonga-se para o mar.  Elas medem cerca de 100 metros e a do meio, Faraglione di Mezzo, tem um túnel natural escavado pelo mar que a tornou a mais famosa e atraente.

Passamos !!...
  Outras fotos da Ilha:
 
Este bar fica no topo da ilha.

Do imponente Vesúvio ao litoral recortado de Sorrento, da belíssima Costa Amalfitana às escarpas de Capri - conforme o barco desliza, um conjunto de rochedos suspenso no mar desponta no horizonte.  Poucos visitantes resistem ao primeiro impacto: um rochedo abrupto saindo do mar azul e o vaivém dos ferries, iates, veleiros, navios, transatlânticos, barquinhos e lanchas que sempre estão circulando ou ancorados na baía.
Ao chegarem à Marina Grande, o Porto de Capri, pela Baía de Nápoles, inevitavelmente perderão o fôlego. Depois do impacto do primeiro encontro com o “gigante de pedra que sai do mar”, refeito, o visitante experimenta um desejo enorme de se aventurar por esta caprichosa ilha do Mediterrâneo. É o efeito colateral, saudável e arrebatador, do charme sedutor do topo que  contrasta com a agressividade discreta das escarpas agudas. E ele, o visitante, ainda nem sabe que sobre aquele gigante repousa uma doçura. Contra a aspereza da rocha íngreme, a suavidade das ruas de Capri. E dali em diante a atmosfera será sempre de encantamento. Excitante de tirar o fôlego. Mas não se preocupe: o que faltar em ar sobrará em charme.Amei cada minuto que passei ali com meu marido.
 
Os primeiros turístas foram os gregos e romanos da antiguidade.  Os de hoje chegam de todo lugar e circulam pelas ruelas tortuosas aos borbotões.  Antigamente o transporte era feito por jumentos, que assim como Santorini, levavam os visitantes de Marina Grande até a Piazzeta. Hoje os táxis, como eu já disse, que assim como as calçadas, têm o estilo Capri:  são carros comuns que tiveram as capotas cortadas e substituídas por outras de lona !  Ou também por um funicular e por um personalíssimo micro (micro mesmo !) ônibus.
Quem vai a Capri procurando  banho de mar deve saber que não há praias - ao menos aquelas de areia - na orla da ilha. Assim como em algumas das mais famosas ilhas turísticas da Grécia, não existem aquelas praias paradisíacas de largas faixas de areia branca que temos no Brasil. Mas há, sim, possibilidades de banho de mar na ilha, e ele deve ser bem gostoso:   o mar é calmo, sem ondas e limpo. A temperatura agradável dependendo da época do ano e a cor, bem, a cor...é azul de doer.  
 Quem imagina que o charme de Capri termina em suas escarpas que brotam do mar azul escandaloso ainda não chegou a caminhar por suas vielas cheirosas.  Sim, Capri é perfumada. De cítricos e amadeirados.  Esse charme adicional não é por acaso, é  tradição mesmo.  Duas fábricas de perfumes há mais de 600 anos extraem óleos essenciais de flores de limoeiros e laranjeiras e delas fabricam perfumes exclusivos.  Os cheiros cítricos vez por outra visitam as narinas dos visitantes que passam por suas estreitas vias.  Os aromas, chegam a se expandir para além das fábricas, ganham as ruas. Ruas repletas de lojas personalíssimas, boutiques de grifes famosas italianas e francesas, de artesanato,  galerias de arte, joelherias e mercadinhos.
 
Capri cativa, enlaça e envolve pelo que ela tem de melhor: belíssimos mirantes, varandas naturais sobre o Mar Tirreno e os golfos de Sorrento e de Nápoles, veleiros, iates, lanchas e de lambuja a costa amalfitana coadjuvando ao fundo.  Que cenário ! Fiquei enfeitiçada pelos caprichos da natureza que tornam a ilha singular.
 A ilha é abundante de colinas, rochedos, pomares de oliveiras, vinhedos, terraços ajardinados, flores, mirantes, águas de penetrante azul mediterrâneo. E ainda pode ser possível avistar o Vesúvio ao longe com o céu limpo. Os ferries brancos e hydrofoils ziguezagueando pela baía acompanharão o olhar do visitante pelo azul forte do Mediterrâneo. Incessante vaivém que traz e leva gente e carga. Os caminhos e trilhas que proporcionam incontáveis oportunidades de explorar a pé seu território, suas igrejas, ruínas, lojas, cafés, seus bares, sorveterias, retaurantes é o que mais será usado como meio e caminho para que a visita à ilha agrade ao mais ambicioso turista.

  AMEI Capri !  

Viajar é fechar a agenda, e sair da rotina! Viajar é se lançar aos lugares, deixando que eles entrem dentro de nós. É deslizar os olhos para tantas maravilhas! É surprender se sempre, porque ainda que o lugar seja o mesmo, os olhos já são outros !

É sentir o aroma dos pratos, das flores, das montanhas, campos e da brisa do mar. É ouvir o burburinho dos cafés, praças, de um sino de igreja, uma música ao longe ou o silêncio de uma estradinha solitária como as que tomamos várias vezes ! Viajar é, envolver se, emocionar se e foram muitas emoções !Passear a alma ! E voltar um pouco diferente do que fomos.

  FRASE DA VEZ:

 
"A fotografia eterniza o efêmero da beleza."
 

EXPLOSÃO 

2 comentários:

  1. Carmen Lins de Carvalho23 de junho de 2012 07:48

    E eu curtindo Capri, acompanhada do casal 20. O que quero mais? Vocês viajam e a gente curte!

    ResponderExcluir