Páginas

segunda-feira, 25 de junho de 2012

CURTINDO A EUROPA - CIDADE DO PORTO



PORTO - CIDADE INVICTA
O Barco Rabelo que transporta o vinho do Porto pela via do douro. Porto-Régua

Na volta ao Brasil, ficamos ainda 4 dias na cidade do Porto, que achei encantadora. Resolvemos concluir nossa viagem à Europa na cidade do Porto, segunda cidade em tamanho de Portugal.
Numa feira de animais, que tivemos que sair logo, pra não arrumar briga, pois ali a gente viu esquilos, araras azuis e outras araras e muitos pássaros, todos presos em gaiolas minúsculas...

O Porto é uma cidade portuguesa situada no noroeste da Península Ibérica, sede do município homônimo com 41,66 km² de área, tendo uma população de 237.584 habitantes (2011). 
A cidade é considerada uma cidade global gama, sendo a capital do Distrito de Porto, da Área Metropolitana do Porto e da região estatística do Norte, sub-região do Grande Porto. 
A cidade metrópole, constituída pelos municípios adjacentes que formam entre si um único aglomerado urbano, conta com cerca de 1.286.276 habitantes, o que a torna a maior do noroeste peninsular e a segunda maior de Portugal, após a Grande Lisboa.
A cidade do Porto é conhecida como a Cidade Invicta. É a cidade que deu o nome a Portugal – desde muito cedo (c. 200 a.C.), quando se designava de Portus Cale, vindo mais tarde a tornar-se a capital do Condado Portucalense. 
É ainda uma cidade conhecida mundialmente pelo seu vinho, pelas suas pontes e arquitetura contemporânea e antiga, o seu centro histórico, classificado como Patrimônio Mundial pela UNESCO, e por um dos seus clubes de futebol, o Futebol Clube do Porto.
Tem origem num povoado pré-romano. Na época romana designava-se Cale ou Portus Cale, sendo a origem do nome de Portugal. No ano de 868, Vímara Peres, fundador da terra portugalense, teve uma importante contribuição na conquista do território aos Mouros, restaurando assim a cidade de Portucale.
Em 1111, D. Teresa, mãe do futuro primeiro rei de Portugal, concedeu ao bispo D. Hugo o couto do Porto. Das armas da cidade faz parte a imagem de Nossa Senhora. Daí o fato de o Porto ser também conhecido por "cidade da Virgem", epítetos a que se devem juntar os de "Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta", que lhe foram sendo atribuídos ao longo dos séculos e na sequência de feitos valorosos dos seus habitantes, e que foram ratificados por decreto de D. Maria II de Portugal.
Foi dentro dos seus muros que se efetuou o casamento do rei D. João I com a princesa inglesa D. Filipa de Lencastre. A cidade orgulha-se de ter sido o berço do infante D. Henrique, o navegador.
Devido aos sacrifícios que fizeram para apoiar a preparação da armada que partiu, em 1415, para a conquista de Ceuta, tendo a população do Porto oferecido aos expedicionários toda a carne disponível, ficando apenas com as tripas para a alimentação, tendo com elas confeccionado um prato saboroso que hoje é menu obrigatório em qualquer restaurante. 
Os naturais do Porto ganharam a alcunha de "tripeiros", uma expressão mais carinhosa que pejorativa. É também esta a razão pela qual o prato tradicional da cidade ainda é, hoje em dia, as "Tripas à moda do Porto". Existe uma confraria especialmente dedicada a este prato típico .
Desempenhou um papel fundamental na defesa dos ideais do liberalismo nas batalhas do século XIX. Aliás, a coragem com que suportou o cerco das tropas miguelistas durante a guerra civil de 1832-34 e os feitos valerosos cometidos pelos seus habitantes — o famoso Cerco do Porto — valeram-lhe mesmo a atribuição, pela rainha D. Maria II, do título — único entre as demais cidades de Portugal — de Invicta Cidade do Porto (ainda hoje presente no listel das suas armas), donde o epíteto com que é frequentemente mencionada por antonomásia - a «Invicta». 
Alberga numa das suas muitas igrejas - a da Lapa - o coração de D. Pedro IV de Portugal, que o ofereceu à população da cidade em homenagem ao contributo dado pelos seus habitantes à causa liberal.
 CURIOSIDADES:
Os famosos vinhos do Porto são em geral produzidos no vale do Douro, sendo então envelhecido nas adegas da Vila Nova de Gaia, cidade que fica do outro lado do rio Douro, com relação à cidade do Porto. Lado oposto ao Porto. 
O vinho do Porto é uma invenção portuguesa que os ingleses descobriram e apresentaram para o resto do mundo.
No meio do século XVII este vinho ficou conhecido como “néctar do Douro”, cuja região, onde as uvas eram cultivadas, era uma região pobre, pois, apenas produzia para o Porto, que por sua vez prosperava. 
Passeamos por esta bela cidade, indo à igreja de São Francisco, que é toda decorada, com mais de 200Kg de ouro, provavelmente vindo do Brasil. 
Estivemos no magnífico Café Majestic, onde comi uma caravela, que é um prato de melão, com o presunto decorado na forma de vela de barco.
Passeando pelo centro conhecemos "A Pérola do Bolhão", que é um verdadeiro empório de secos e molhados. Lá vimos na vitrina desde chá até orelha de porco salgada.
Cidade com muitos contrastes, o Porto tem vários prédios históricos, e alguns ultramodernos, como a “Casa da Música”, que é considerada a sala de melhor acústica do mundo. 
Estivemos na estação ferroviária São Bento, onde a sala de entrada é decorada com enormes azulejos, com pinturas dos trabalhos no Douro e no Minho (produtor de vinhos verdes), como a plantação de uvas no Douro. 
Comemos um polvo delicioso, além de um bacalhau regado a um azeite maravilhoso e alho. Uma iguaria da região.
A área mais efervescente do Porto fica nas duas margens do Douro, ligadas pela ponte Dom Luis I, de aço, construída em 1886, por um assistente de Gustave Eiffel. Uma nova ponte, Infante Dom Henrique foi construída, para dar conta do tráfego, pois, a antiga ponte se tornou uma via estreita para ligação das cidades. 
Do lado do rio, onde fica a cidade do Porto, existem vários restaurantes e bares, onde se pode provar os diversos tipos de vinho do porto, vendo as cantinas dos produtores no outro lado do rio, em Gaia. 
Fomos a Gaia, onde participamos de uma visita à adega da produtora Sandeman, cujo símbolo parece o Zorro. 
Lá pudemos ver os diversos e enormes tonéis, onde os vinhos Tawny estavam envelhecendo há décadas, alcançando um valor inestimável. No final da visita foram servidos alguns tipos de Porto, para que pudéssemos conhecer suas nuances.
Os vinhos do Porto são vinhos da categoria dos fortificados, isto é, depois de  ficarem fermentando por 2 a 4 dias, tem álcool de uva adicionado, interrompendo este processo.
Com a fermentação incompleta, os açúcares ainda não se transformaram em álcool, como nos outros vinhos, tornando-se um vinho com alto teor de açúcar. O teor alcoólico, que situa na faixa dos 19 a 21%, resulta da adição do álcool.
Os Porto são vinhos que se harmonizam com frutas, doces e até com chocolate, e com alguns queijos.
 Só sei dizer que a cidade do Porto é uma delícia !!
Histórica, linda e muito hospitaleira.

MAIS FOTOS:
 UMA FEIRA EM PORTO:
 TRIO
 

2 comentários:

  1. Carmen Lins de Carvalho25 de junho de 2012 17:33

    Postei um comentário, mas ficou truncado por aqui. Eu dizia que estive no Porto, em setembro de 2010,pela CVC - é um passeio limitado, mas deu para conhecer lugares, fabrica onde se faz e armazena o vinho. "O porto é uma delicia" como você disse.

    ResponderExcluir