Páginas

domingo, 24 de abril de 2011

DEMISSÃO NO THEATRO MUNICIPAL DO RIO


Roberto Minczuk deixa a direção artística do Theatro Municipal do Rio

                    O maestro Roberto Minczuk à frente da OSB: processo de avaliação opôs regente e músicos.
Em meio a uma crise que se arrasta desde janeiro, com desentendimentos entre os músicos da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), o maestro Roberto Minczuk pediu, nesta segunda-feira, exoneração do cargo de diretor artístico do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. A justificativa oficial é a de que o regente poderá, assim, dedicar-se integralmente à direção da orquestra.
                      A saída ficou decidida após uma reunião ocorrida pela manhã, com a OSB. Até então, Minczuk ocupava os cargos de diretor artístico do Municipal e de regente titular da orquestra. Uma nota emitida pelo Theatro Municipal informa: "O conselho formalizou ao maestro o desejo de tê-lo integralmente dedicado à reestruturação por que passa a orquestra e pediu seu desligamento do Theatro Municipal. Frente às circunstâncias, a presidente da Fundação Teatro Municipal, Carla Camurati, aceitou o pedido de Roberto Minczuk."
O regente titular da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal (OSTM), maestro Sílvio Viegas, passa a responder interinamente pela direção artística da casa. O acúmulo de funções por Roberto Minczuk vinha sendo criticado pelos músicos do teatro. Com a OSB, a crise era bem mais profunda: depois de alguns afastamentos, o clima ficou tão tenso que parte do corpo da orquestra pedia à fundação que administra a orquestra que o maestro fosse afastado.
                            A crise começou depois que a fundação, por indicação do maestro, impôs uma avaliação de desempenho aos músicos e depois demitiu 33 deles, que se recusaram a participar. Os músicos realizaram, nesta segunda-feira, uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) em que reiteraram denúncias de supostos desmandos da Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) e do regente.
 LINDA GRÉCIA
 

2 comentários:

  1. É exatamente isso que temo, com relação a Viracopos, amiga...

    ResponderExcluir