Páginas

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

VAMOS VIAJAR ? BRUGES - BÉLGICA


VIAJANDO PELA LINDA BÉLGICA - BRUGES
                     Bruges (em neerlandês Brugge) é uma cidade belga, capital da província de Flandres Ocidental, na região de Flandres. Tem cerca de 117 mil habitantes. Foi a capital europeia da cultura em 2002, juntamente com a cidade espanhola de Salamanca.
                  Bruges é chamada de "Veneza do Norte", por causa de seus inúmeros canais que a cercam ou a atravessam, mas também a ligam principalmente com a cidade de Gante.
Diversos passeios de barco são propostos aos turistas, alguns dos quais permitindo chegar às cidades vizinhas. A cidade apresenta ainda as ruínas de uma fortaleza, bem como moinhos às margens dos canais.
                          São praticamente inexistentes traços de civilização e atividade humana anteriores à era Pré-Romana Gaulesa na região de Bruges. As primeiras fortificações foram construídas após a conquista do Menappi por Júlio César no séc. I A.C., com intuito de protecção da zona costeira contra piratas. Já no séc. IV, a região foi tomada aos romanos pelos Francos e as incursões dos Vikings, por volta do séc. IX, obrigaram a que Baldwin I, Conde da Flandres, reforçasse as antigas fortificações.
                      Foi também nesta época que se fortaleceram as relações comerciais com a Inglaterra e a Escandinávia e surgiram as primeiras moedas gravadas com o nome Bryggia (significa "porto" em neerlandês remoto).
Foi a 27 de Julho de 1128 que Bruges foi elevada a cidade e construiu novas muralhas e canais. Desde cerca 1050, um gradual avanço do lodo em direcção da cidade, provocou a obstrução dos acessos directos com o mar, mas uma violenta tempestade em 1134 restabeleceu-os através da criação de um canal natural (Zwin).
                     Com o raiar do séc. XII, Bruges foi incluída no circuito comercial Flamengo, sobretudo devido à sua emergente indústria de lã e tecidos. Os principais mercadores da cidade apostaram no desenvolvimento de "colónias económicas" em Inglaterra e na Escócia e os seus contactos trouxeram grão da Normandia e vinhos da Gasconha para a região. 
Os navios Hanseáticos atracavam diariamente no porto que, face a este crescimento e sobrecarga, teve de ser expandido de Damme até Sluys para acomodar os novos cog-ships. Em 1277, o primeiro barco mercante partiu de Gênova e atracou no porto de Bruges, o primeiro da rota mercantil que tornou Bruges a principal conexão com o comércio do mediterrâneo.
                    Este desenvolvimento permitiu não só a abertura para a rota das especiarias de Levante, mas também a introdução de avançadas técnicas comerciais e financeiras e um fluxo de capital que rapidamente tomou conta das transacções bancárias da cidade. A bolsa de valores abriu em 1309 e desenvolveu-se no mais sofisticado mercado financeiro dos Países Baixos no séc. XIV. Quando as primeiras galés venezianas surgiram, em 1314, já vinham atrasadas. No séc. XV, Filipe O Bom, duque de Burgundy assentou corte em Bruges (bem como em Bruxelas e em Lille) atraindo inúmeros artistas, banqueiros e outras personalidades proeminentes de toda a Europa.
                          A primeira impressão de sempre de um livro em Inglês foi publicada em Bruges por William Caxton. Foi igualmente uma época em que Eduardo IV e Ricardo III de Inglaterra passaram o seu exílio na cidade flamenga.
No início de 1500, o canal Zwin, que fora responsável pela prosperidade da cidade, começou também ele a ficar obstruído por lodo. Bruges foi rapidamente ultrapassada por Antuérpia como o centro económico dos Países-Baixos. Durante a década de 1650 a cidade foi a base para a estadia de Carlos II de Inglaterra e a sua corte no seu exílio.
                        A infraestrutura marítima foi modernizada e foram construídas novas ligações ao mar, mas sem um grande sucesso.
Na segunda metade do séc. XIX, Bruges tornou-se num dos primeiros destinos turísticos, atraindo turistas britânicos e franceses. O porto de Zeebrugge foi construído em 1907 e utilizado pelas tropas alemãs no decorrer da I Guerra Mundial para atracar os seus submarinos. 
                     Nas décadas de 1970 e 1980 foi alargado e tornou-se um dos mais importantes e modernos portos da Europa. O turismo internacional cresceu exponencialmente desde então e todos estes esforços resultaram na designação de Bruges com Capital Europeia da cultura em 2002.

VAMOS CURTIR AS FOTOS E A HISTÓRIA BELGAS 

BRUGES DE INVERNO

Um comentário: