Páginas

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

E OS COSMÉTICOS ?

A HISTÓRIA DOS COSMÉTICOS


by Carol Ribeiro

"Como vocês podem imaginar, não sou do tipo que usa maquiagem ou  cremes milagrosos de beleza. Há séculos não pinto as unhas e, salvo um  brilho ou um batom eventual, costumo me assumir de cara lavada  diariamente. Talvez em virtude desse meu comportamento hippie e avesso,  me sinta pouco à vontade para falar do uso de cosméticos, se até mesmo  protetor solar evito, optando por uma camisa leve de algodão e um chapéu  de abas largas.
             Apesar disso, me senti tentada a tratar desse tema depois de saber  que uma amiga está contaminada com metais pesados, isto mesmo, metais  pesados… Descobriu, após vários exames e tratamentos, que seu organismo  tinha doses exageradas de elementos incompatíveis com o funcionamento  adequado do seu corpo. Sim, nosso organismo tem limites, nossos filtros  de veneno não suportam mais tanta super exposição. Haja rim.
                 Bem, agora, felizmente, ela descobriu a causa: um creme para beleza  milagroso, caro, importado, devo pensar que deveria ser impróprio para o  uso humano, porque somos seres de pele fina, somos frágeis, e não  deveríamos estar expostos à infinidade química que nos rodeia. Num breve  passar de olhos pelo banheiro começo a imaginar todo tipo de agressão  causada por aqueles produtos, aparentemente inofensivos.
             Como assim? É isso mesmo? Do sabonete até o desodorante, do batom  ao esmalte, provavelmente estamos ingerindo veneno sem qualquer  consciência. De livre e espontânea desinformação. Peguei o sabonete e  fui checar um a um dos seus ingredientes, apenas a fragância e os  corantes podem trazer algum prejuízo, uma alergia, diminuição de  fertilidade, quase nada. Chocada mesmo fiquei com os ingredientes do  batom, entre eles o Aluminum Starch Octenylsuccinate, BHT e outros inomináveis, e principalmente com os componentes das tinturas de cabelo P-Phenylenediamine, Resorcinol, evite, a todo custo.


Saiba mais neste banco de dados incrível, que traz informações preciosas a respeito dos componentes dos nossos make-ups.

Socorro! Me livrem deste xampu, onde é eu que estou com a cabeça?  Quero minhas rugas de volta… Tudo bem, também não precisamos chegar a  extremos. Muitos dos produtos de higiene pessoal que usamos são  praticamente indispensáveis nos dias de hoje, e quase inofensivos. Mas é  sempre bom saber que as fragâncias e os corantes podem causar alguma  intoxicação, infertilidade, câncer, entre outras disfunções. Parece que  tudo isso é parte do caos contemporâneo, do risco de ter nascido vivo.


         The Story of Stuff Project, (acima) que levanta algumas  considerações sobre o uso indiscriminado de produtos de beleza. Talvez  assim a gente consiga entender porque somos vítimas de um sistema  incompatível com o nível de informações que temos hoje.
        As contradições são imensas, e a concorrência entre os produtos  transcendem a minha imaginação. Produtos rejuvenescentes com  nanopartículas já estão a nossa disposição nas prateleiras. Sobre eles,  dois artigos. Um diz que é o céu, no outro, lemos: “Pesquisadores  têm apenas começado a formular as perguntas mais básicas sobre o  impacto dos novos nanomateriais na saúde do ser humano e no  meio-ambiente. Evidência de contaminação de nanopartículas em organismos  vivos e questões sem resposta quanto aos perigos potenciais das novas  formas de carbono exigem um exame urgente da parte da sociedade.”


            Pois bem, estamos numa encruzilhada, acendendo todas as nossas  velas ao diabo. Buscando a fantasia da fonte da juventude eterna.  Achando que existe alguma coisa que reverta o tempo. O tempo, aquilo que  temos de mais precioso. Por que nos envergonhar de nossas marcas?  Aparentaremos menos idade? Seremos, por acaso, mais felizes?
               Sugestões? Sempre: maquiagens naturais à base de açafrão ou urucum;  batom de beterraba; máscara de clara com açúcar, para esfoliar e firmar  a pele; banho de lama, de chuva; compressas de camomila sobre os olhos –   e sorriso, muito, muito, muito sorriso. Um boa risada movimenta todos  os músculos da face, tonifica a pele, amacia o coração e desopila o  fígado. Levar a vida de cara limpa, de peito aberto, pode parecer um  desafio, água e saúde é tudo temos, é tudo o que precisamos.
                  Fui então pesquisar os desodorantes, antitranspirantes,  antiperspirantes, mas poucos sites fornecem a lista de ingredientes,  como se essa informação não nos interessasse. Sei que a base da maioria é  alumínio, micro partículas, às vezes zircônio ou sílica. Não há quem me  convença em manter o suor dentro do meu corpo. Dicas de desodorantes  naturais são sempre bem vindas.
                E os cabelos, lisos de formol… receitas clandestinas circulam na  internet. O melhor cabelo é aquele que herdamos dos nossos ancestrais,  geneticamente corretos. A troco de que temos que mudar sua cor,  desfigurar, enrolar, alisar? A felicidade mora dentro da gente e passa  pela grata aceitação de estarmos vivos, simplesmente." 
 FRASE DO DIA:

"A beleza é o  espelho da nossa estima."
 VAIDOSA !...

Um comentário:

  1. Ouvi certa vez:
    Não existe cabelo bom ou ruim: existe cabelo.

    ResponderExcluir