Páginas

terça-feira, 13 de novembro de 2012

PASSEANDO PELO BAZAR


A ARTE DE UM BAZAR EGÍPCIO
Esqueça os grandes shoppings do Rio de Janeiro, de São Paulo e até mesmo dos Estados Unidos. O paraíso do consumo tem outro endereço: o Grande Bazar de Istambul.
São 6 mil lojas capazes de tirar do sério até mesmo os turistas mais controlados. Melhor do que ir às compras é admirar as lojas e contemplar o vaivém de turcos, visitantes e vendedores.
Uma simples transação comercial transforma-se em um longo ritual. Por isso, não coloque os pés no Grande Bazar se não estiver disposto a pechinchar, pechinchar e pechinchar.
Neste templo do consumo, a variedade de produtos é assustadora. Para facilitar a visita, as lojas são divididas em setores: alas onde há apenas jóias em ouro ou prata, outras especializadas em tapetes, existe ainda o espaço dos comerciantes de couro, de instrumentos musicais, lenços ou roupas baratas. Tudo é surpreendentemente organizado, com placas de sinalização.
Para os turcos, comprar um produto sem fazer uma contraproposta é praticamente uma ofensa. A negociação é obrigatória, até mesmo porque os vendedores colocam os preços nas alturas para depois baixar os valores durante a conversa. Um tapete turco anunciado por 500 liras pode cair para 150 liras depois de meia hora de negociação. 
O Grande Bazar foi reformado recentemente e hoje tem uma excelente estrutura para receber os moradores de Istambul e, principalmente, os turistas. As arcadas do teto são muito coloridas, com predominância do azul e do vermelho. O ambiente é contagiado pelo vapor do chá servido nas lojas pela maioria dos comerciantes.
Além da paciência para pechinchar, é preciso também ter calma para suportar o assédio dos vendedores, que algumas vezes chega a ser incômodo. Quase todos falam inglês e ficam na porta das lojas. Há até comerciantes que puxam os clientes pelo braço para tentar ganhar a venda. Outros gritam as ofertas no ouvido dos visitantes.
O mais recomendável é deixar o Grande Bazar para o último dia, quando o turista já terá visitado boa parte da cidade e terá uma boa noção dos preços em Istambul. Assim, fica fácil comparar, pechinchar e conseguir o melhor preço.
O Bazar de Temperos, conhecido em Istambul como Spice Bazar, também é um passeio imperdível.
O cheiro é inebriante.
Em uma pequena caminhada é possível sentir aromas de canela, rosas, chá verde, açafrão e dos tradicionais temperos turcos.
Cem gramas de chá custam de 2 a 5 liras turcas e a maioria das lojas embala os produtos a vácuo para que os turistas possam transportá-los.
Produtos ditos afrodisíacos são anunciados em várias lojas, assim como o lokum, um dos mais tradicionais doces turcos.
Recheados com nozes, pistaches, amêndoas ou chocolates, eles são conhecidos como turkish delight.
Vale a pena comprar algumas caixas de doces industrializados para trazer na volta ao Brasil.
Outros itens como queijo ou café moído na hora são mais complicados para transportar, mas vale a pena experimentar ou admirar as vitrines com dezenas de variedades.
  
SEGREDOS DE JARDIM
 

4 comentários:

  1. O bazar de Teerã já é de tirar qualquer um do sério; esse, então, é de rolar no chão. E não mostrou nenhuma loja de cristais. É tudo lindo, delicioso e dá vontade de comprar tudo. Eu não sei se ia conseguir me controlar....Liliana

    ResponderExcluir
  2. Carmen Lins de Carvalho13 de novembro de 2012 11:18

    Andei pelo bazar egipcio! Quantas cores, quantos sabores! Muita arte para encher os olhos. Aamei.

    ResponderExcluir
  3. Amigas, este está na minha lista ! Quero me perder por lá ! rsrs...
    Beijos

    ResponderExcluir